4 de set de 2014

(Clique no link) Leia até o final!

Por: Eliana Rezende
Outro dia vi um estudo que diz que 25% das músicas do Spotify são puladas após 5 segundos. E que metade dos usuários avança a música antes do seu final. Enquanto isso, no YouTube, a média de tempo assistindo a vídeos não passa dos 90 segundos. O mais chocante desses dois dados é que o uso do Spotify e do YouTube, em geral, está focado no lazer, no entretenimento. Ou seja, se a gente não tem paciência para ficar mais de 90 segundos focado em uma atividade que nos dá prazer, o que acontece com o resto das coisas?
SOMOS A GERAÇÃO QUE LÊ O TÍTULO, COMENTA SOBRE ELE, COMPARTILHA, MAS NÃO VAI ATÉ O FIM DO TEXTO. NÃO PRECISA, NINGUÉM LÊ!  (Revista Galileu/Julho, 2014)

Há tempos quero falar sobre essa forma de "leitura" que encontramos em redes.
Compartilhamentos aflitos e leituras superficiais. Alguns não chegam a clicar no link onde um post ou uma matéria se abrirá. Adivinham!
E o que é pior: "ousam" comentar!

Sempre me pergunto o porque de tanta pressa.

Ninguém está ali obrigando a pessoa a coisa alguma.
Mas quem escreve dedicou tempo pensando, lendo, organizando as ideias, depois buscando palavras para construir parágrafos e expô-las aos demais.
E onde fica o respeito e a consideração do leitor por tudo isto?!

Assim, antes de sair compartilhando sem ler ou comentando sem pensar, ou nem clicar no link, vá até o fim do post.
Ou então desista de tudo.

E se não for por você, que seja em respeito ao outro!

____________________
Posts relacionados:
Ler de forma produtiva. Mas como?!
Escrita executiva: escrever bem é coisa séria!
Facebook: robotização e sedentarismo em rede
Geração Touchscreen
Chegamos ao fim da leitura?

*
Acompanhe/curta o blog também através de usa página no Facebook



Um comentário:

  1. Eu tenho gosto por boa leitura, mas sei que muita coisa que eu leio ou compartilho é lida só no título, mesmo. Então, quando escrevo, principalmente no Face, os textos longos eu procuro compartilhar com pessoas que eu sei que gostam de ler bastante, e mando frases curtas para quem só lê o que está visível. Mas sei de pessoas que fazem "pegadinha", colocando títulos que insinuam apoio ao racismo, por exemplo, num texto contrário a esse tipo de conduta, só para se divertir com as respostas furiosas e escrever "Você só leu o título, né?".

    ResponderExcluir